quinta-feira, março 01, 2012

Medo do desconhecido!

Mesmo sabendo que corria o risco de se machucar de novo ela insitia,  prescisava saber. E  todas aquelas sensações novas,  o coração acelerado parecia mais estar numa maratona de corrida.  As mão suavam frias,   pensamentos e alicinações a norteava. Pensava  muito na situação, sabia o risco que corria, pensava  tanto que as vezes dava lhe vontade de desistir. Porém se desistisse nunca saberia. E mais que todas as sensações que sentia, existe uma que sempre a tortura demais: a duvida. A arte da duvida, de não ter certeza de nada, sempre a ajudara em outras ocasiões a tomar decisões. As vezes decedia sem ao menos conhecer porque a dúvida lhe dava medo. Mas dessa vez ela queria ser forte, seria arriscado. Mas e se valesse a pena e ela nem ao menos tivesse tentado? Olhou pra dentro de si mesma, para o coração que pulsava apressadamente: - Nós somos fortes, vamos viver e descobrir o novo, e se não for aquilo que esperamos, sobreviveremos de novo! Ela estava decidida,  diferente de outras situações ela queria mesmo era enfrentar, conhecer, descobrir,  e saber de uma vez por todas aquele  que ela  desconhecia.
Postar um comentário