domingo, agosto 28, 2011

Silêncio

E ainda tá tudo entalado aqui, eu nem tive a oportunidade de rasgar o verbo e dizer tudo o que ficou por dizer. Odeio essa sensação de que por uma atitude seria diferente, se apenas me pedisse pra ficar, tudo valeria a pena. Odeio o fato de ser a responsável por essa situação, odeio o fato de não ter você aqui. Odeio também por não me fazer ficar, por esta me deixando partir assim, depois de todas as tentativas possível tentando me resgatar, depois de todos as oportunidades de me fazer enxergar o erro. Agora que caiu a ficha, que entendo o que ficou por fazer, você me fecha portas e janelas, nem pela fresta o consigo ver. Me impede, me afronta, me confunde, me desmonta. E fico sem entender, sem saber o que fazer, com medo de deixa-lo partir também, ou com medo de de novo tudo aquilo reviver. Mas você nem me da uma chance, deixa tudo por minha conta, nem ao menos me deixa dizer, somente o silêncio permanece entre nós, o silêncio que me silencia, o silêncio que grita dentro de mim, o silêncio que me afasta, o silêncio que me leva de você, o silêncio que todos fala, e eu nada ouço.
Postar um comentário