domingo, julho 31, 2011

“(...) deve haver, perdida por aí, uma regra absolutamente sem exceção.”



Quero poder fechar meus olhos e imaginar alguém. E poder ter a absoluta certeza de que esse alguém também pensa em mim quando fecha os olhos, e que faço falta quando não estou por perto.

Mário Quintana



Postar um comentário